terça-feira, janeiro 09, 2007

iPhone

Finalmente, o iPhone. Talvez é o "gadget tecnológico" mais esperado de todos os tempos - e com certeza é o mais comentado: desde o primeiro iPod se fala na convergência do aparelho multimídia com as necessidades de comunicação do século XXI.

Ta-daa! Steve Jobs apresenta o iPhone, sua nova vedete. Clique para ampliar!

Enquanto na feira CES (Consumer Electronics Association) o mundo se curva aos aparelhos de TV ainda mais digitais e de alta definição, aos novos discos multimídia que estocam trocentos dados para exibir o que você quer ver nos tais aparelhos digitais, e à casa tecnológica de Bill Gates que é o sonho americano de 50 anos atrás... Na Macworld Conference & Expo San Francisco a Apple Inc. (não mais "Apple Computer") reinventa duas coisas que até então conhecíamos por "telefone celular" e "iPod".

Incrível como a Apple e Steve Jobs têm uma visão de futuro... Por essas e outras que Jobs é meu ídolo - mais do que Bill Gates. O que pensávamos do iPhone? Simples: um celular bonitinho com o iTunes embutido e grande capacidade para estocar MP3. Mas Jobs tirou de seus engenheiros o que poucos pensavam - e, agora que o iPhone é real, tais invenções se tornam tão óbvias que nos sentimos idiotas, palhaços, falando "por que não pensamos nisso antes?".

O que o iPhone tem do que esperávamos: é pequeno e com um design minimalista (apenas um botão na sua frente - todos os botões necessários estão na tela do aparelho!), tem uma bateria com razoável capacidade (ainda mais levando em conta o que o aparelho é capaz de fazer) e funções que vão além de "ouvir música, ver vídeos e falar com pessoas" - quem sabe, tirar fotografias... (sim, é possível: o aparelho tem uma câmera de 2.0MP).

E o que ele traz de especial: uma tela de alta resolução com tecnologia "multi-touch", capaz de detectar toques acidentes e, ao mesmo tempo, distingue diversos tipos de toques; sua interface é intuitiva, bonita e "smooth", usando uma versão especial do Mac OS X; o "modo telefone" é revolucionário, não só nas ligações mas também na forma como gerencia seus contatos; navega na Internet através do "Safari", o navegador da Apple, com capacidade para detalhar páginas na Internet e poder visitá-las (e entendê-las) sem problemas; e-mail Yahoo! gratuito, feito especificamente para o aparelho; acesso em tempo real ao Google Maps, para saber exatamente onde você está no mundo; sensores de movimento e aproximação, que detectam quando você deixa o iPhone na vertical ou na horizontal para adequar o modo de visão do aparelho (útil para fotos e filmes), e também capazes de saber quando você aproxima o aparelho do ouvido, para que o iPhone desative suas funções multimídia para entrar no sistema "telefone".

É inacreditável. Como eu disse antes, é tão óbvio, tão eficaz, tão útil... Como não pensei nisso tudo antes? A genialidade está nessas coisas! Mas precisam ser protegidas: o iPhone engloba mais de 200 patentes da Apple - depois do que Bill Gates fez com o Jobs, roubando o conceito de "Windows" dos antigos Macintosh, a Apple está certa em ser precavida.

Steve Jobos conseguiu, novamente, fazer um produto que ninguém dava falta antes de existir - mas, depois que foi criado, ninguém conseguirá viver sem um. Foi assim com o iPod e será igual com o iPhone. É o exemplo de executivo e empresa que pensam no futuro viável, no que precisamos para viver, e não nos sonhos que se tornarão realidade anos e anos depois. Ora bolas, ficção científica é para os filmes: desde que eu nasci vejo o conceito de "casa inteligente do futuro"!

Infelizmente, o iPhone é caro... O aparelho usa a tecnologia GSM 2.5 e será lançado em duas versões, uma com 4GB de memória flash NAND ($499) e outra com 8GB ($599). Detalhe: o aparelho não é vendido sozinho, é necessário assinar um plano com uma empresa telefônica e respeitar o contrato de fidelidade - de 2 anos! Nos Estados Unidos não se costuma comprar um telefone e assinar um plano de fidelidade... Jobs terá que quebrar esta barreira, mas pra ele será fácil. A Apple já quebrou muitas outras barreiras no passado.

Não sei se o iPhone chegará ao Brasil oficialmente, mas já estou guardando minha grana. :D O iPhone é mais do que um iPod com telefone, ou um telefone com um iPod. iPhone é o iPhone. É um novo conceito. A Apple reinventou o telefone.

Ah... Só mais uma coisa. Se a Apple popularizar o iPhone, ela conseguirá fazer com que diversos novos consumidores se adequem ao "estilo" de ser e de uso do sistema operacional Mac OS X. É um grande risco para a Microsoft. Passo a considerar a Apple como a concorrente principal da empresa de Gates, e não mais o Google.

10 comentários:

maczinha disse...

eu quero.. :~

é verde :~

Arraso disse...

Mais que verde, é qualquer cor que você quiser +_+

Anônimo disse...

Green, I love it ^^

Anônimo disse...

Você disse que iria proibir a postagem de anônimo...desse jeito vou começar a flodar...rs

Daniel disse...

É, pelo visto fiz boa coisa em esperar um tempo e não ter comprado um iPod... Baseando-se nas ferramentas que o iPhone disponibilizará, será uma utilidade indispensável pra nós, aficcionados por tecnologia.

Off: Arraso, eu linkei este post no meu blog, mas não sei como citá-lo: "Blog do Arraso" ou "Blog do Kobaian"? o.Ô

Arraso disse...

Se eu tirar a postagem de anônimo, as pessoas vão deixar de postar ;( (snif)

Daniel: pode ser Blog do Arraso mesmo. :D
um dia ainda mudo o nome do meu blog o.O

vini disse...

Oo'
vo continuar com o meu t230.
o Sr. Jobs revolucionou de vez agora ein :|

só falta agora ele instalar o pangya no iphone ^^

abraço.

Arraso disse...

É mesmo... como serão os jogos nesse iPhone? Fiquei curioso agora. Espero algo além dos games em Java que qualquer celular mediano hoje é capaz de rodar.

Matteus disse...

Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero
Eu quero

(hehe)

Daniel disse...

Flooder detected... BAN HIM! :D